Geotermia/ Aerotermia:

Consiste em retirar o calor da terra (ou ar) através de instalações ar/água exteriores ou interiores, e utilizá-lo no aquecimento das habitações, serviços, espaços comerciais, industriais, no aquecimento das águas sanitárias e ainda no aquecimento das piscinas.


O ar que nos rodeia está repleto de energia calorífica que não se esgota porque é uma energia renovável e ecológica, limpa e não poluente, que tem um elevado rendimento.
O ar mesmo a temperaturas negativas da ordem dos -20ºC disponibiliza o calor suficiente para através dos grupos aerotérmicos aquecer gratuitamente as casas, a água para os banhos e para as piscinas.


A importância da utilização desta tecnologia em Portugal é incomparável pela economia conseguida devido às suas condições climatológicas favoráveis e pelo seu interesse ecológico.
Trata-se de uma técnica há muito utilizada no mundo, mesmo em Países frios como a Alemanha, Suíça e a Suécia e já em desenvolvimento na Península Ibérica, com destaque para Portugal devido ao seu privilegiado clima.

 

Há inconveniente que os Grupos Aerotérmicos fiquem instalados no exterior?
Os Grupos aerotérmicos ar/água constituem um meio de aquecimento económico, eficaz e ecológico e podem ser instalados sem problemas ao ar livre. Com efeito, o seu invólucro exterior está especialmente protegido para resistir à intempérie e a sua base em aço inoxidável garante inteiramente a protecção do grupo aerotérmico dos efeitos da chuva e da neve. As funções anticongelantes mantêm a máquina pronta para funcionar mesmo com temperaturas exteriores glaciais

 

Vantagens:
Não é necessário utilizar condutas para transportar o ar desde o exterior até à máquina.
Os grupos aerotérmicos modelos LW(exteriores) aspiram o ar directamente por um ventilador axial extremamente silencioso.
No que se refere a ruídos transmitidos pelo ar e pela estrutura do grupo, a instalação no jardim é solução ideal, por ser mais silenciosa. No máximo, a máquina pode ficar distante do local do controlador, que se encontrar dentro do edifício, cerca de 20 metros.
Os circuitos de ida e de retorno do aquecimento são ligados ao grupo aerotérmico através de tubos próprios enterrados, devidamente isolados, que depois seguirão para o depósito de inércia e para o termoacumulador, instalados no interior do edifício.

O ar da rua é aspirado pelo grupo através de uma conduta metálica.
Depois de retiradas as calorias ao ar este é restituído ao exterior pela outra conduta.
Na parede exterior e nas extremidades das condutas, são colocadas grelhas para a admissão e expulsão do ar.
O grupo interior é instalado habitualmente num espaço periférico ou num anexo, chamado "Casa das Máquinas"
Na casa das máquinas, onde se encontra o grupo interior, costuma instalar-se igualmente os depósitos de água sanitária e de inércia e também o controlador e demais componentes da instalação.

Com o calor que o ar tem armazenado consegue-se economizar 70% da energia que necessitamos para aquecimento dos edifícios habitacionais, dos edifícios de serviços ou industriais e ainda das águas sanitárias.


Os emissores que deixam o calor dentro das habitações podem ser:
> piso radiante
> ventilo convectores
> radiadores


A Alpha Innotec possui uma vasta gama de centrais compactas ar/água, concebidas para habitações bem isoladas que, consoante as necessidades, estão construídas para fazer o aquecimento ambiente, o aquecimento das águas sanitárias, o arrefecimento, a ventilação e ainda com permutador para apoio solar. Estas máquinas têm potências compreendidas entre 7 e 9 kW.
Além dos equipamentos compactos, existe uma gama de potências até 32 kW, que podem trabalhar com temperaturas exteriores da ordem dos -20ºC (vinte graus negativos) e com temperatura de água de ida da ordem dos 55ºC.


Outra gama, bastante utilizada em remodelações de habitações e noutros locais onde se pretende substituir a caldeira de gás ou gasóleo e aproveitar a instalação de radiadores existentes, é a da série H, que aquece a água até 65ºC de temperatura.

 

         

 

 

 

© 2008-2017 GLEA